Conviver com a depressão da melhor maneira possível

Conviver com a depressão é a rotina de milhões de pessoas no mundo todo. A depressão é uma doença que destrói o ser humano de uma maneira lenta, dolorosa e cruel. Pessoas desesperadas buscam de todo o jeito uma cura, um alívio para o sofrimento causado nos depressivos. Buscam conselhos, religiões, terapias e medicamentos, mas na maioria dos casos, o máximo que conseguem é uma melhor forma de administrar a doença através da resignação.

Na verdade, a depressão verdadeira não tem cura. Pode ser causada por inúmeros fatores como os hereditários e os adquiridos.
Jamais confunda depressão com tristeza ou melancolia, pois esses fatores são apenas sintomas da doença, podendo ser ela moderada ou severa.

Geralmente, o que se torna uma depressão com o passar do tempo é o acúmulo de uma série de frustrações oriundas de experiências desastrosas, de fracassos profissionais sucessivos e perdas de origens sentimentais, tais como o fim de um relacionamento ou a morte de um ente querido. O que antes eram apenas decepções e tristezas agora tomam a forma de uma depressão instalada e, provavelmente irreversível.

A vida vai perdendo a graça, o sentido, e as coisas que antes davam imenso prazer e alegria, agora são vistas de forma apática, cinza. Os relacionamentos com as pessoas vão se tornando mais restritivos, os risos, o bom humor, enfim, se tornam cada vez mais raros.

A ansiedade por se tentar recuperar o tempo perdido ou bens materiais perdidos nesse tempo, gera stress e angústia e o resultado é uma depressão massacrante, com sintomas físicos dolorosos. O corpo sente de maneira evidente os efeitos negativos da depressão.

Às vezes, a depender de cada caso, a pessoa perde totalmente a fome, perde peso, adoece por conta disso. Mas os mais ansiosos, ao contrário, tendem a comer em excesso e se tornam obesos. A compulsão de comer é uma tentativa de combater os impulsos obsessivos da ansiedade e uma busca por uma fonte de prazer, visto que a falta de prazer é uma constante na vida de um depressivo, e para alguns é a única fonte de prazer que lhes resta.
E então, como conviver com tamanho sofrimento, visto que os medicamentos receitados pelo psiquiatra não dão os resultados esperados?

Há de se procurar ajuda o tempo todo e estarmos cientes de que será uma luta travada até o fim de nossos dias.
Mas se a origem da depressão é a falta de sucesso profissional e consequentemente a falta de dinheiro, esteja ciente de que se a sua situação financeira vier a melhorar, a depressão desaparecerá de boa parte do seu ser. Não resolverá a questão existencial, mas aliviará muito a dor que era causada por esta questão material.

Se, temos uma depressão severa, unicamente existencial ou hereditária, que não depende apenas de fatores negativos externos, devemos buscar, além da orientação ou companhia de pessoas apropriadas, que entendam realmente do que se trata, mesmo que nunca tenham vivido tal experiência, mas que usem de empatia, a própria auto ajuda.
Ninguém no mundo, por mais experiente que seja, terá a ciência real daquilo que sentimos porque cada um é que sente a sua própria dor e somente cada um é que sabe o grau de devastação na alma causada por essa dor.
Então, somos os nossos melhores médicos. Se, temos fé em Deus, ele certamente será de grande força, pois ele dá força pra resistirmos a dor, embora não cure.

Além disso, mesmo se não temos fé e sequer cremos nele, apesar de tanto sofrimento, resta buscarmos o alívio através de meditações, exercícios de respiração, alimentação adequada e exercícios físicos. Sim, tudo aquilo que as vezes consideramos balela já divulgada por ai e que parece não funcionar.
Funciona sim, a partir do momento em que você passa a cumprir religiosamente uma rotina de quartel general. Lutar, lutar e lutar, mesmo que pareça não adiantar, pois a persistência, a coragem e determinação já em si são fatores positivos contra a depressão.

Quando você ve que está lutando, mesmo que tais coisas pareçam não surtir efeitos visíveis, cria-se uma base sólida de força. E com o decorrer do tempo, você verá que apesar das recaídas e de os problemas continuarem existindo, sua auto estima já melhorou pelo fato de você ter conseguido criar a tal base. Uma pessoa que luta bravamente contra o seu mundo perverso, que o transforma num ator que sorri para as pessoas enquanto se desaba em lágrimas internas e eternas.

Apenas revele a sua depressão, portanto, como já dito, a pessoas que tenham potencial e interesse em ajuda-lo (a). As demais pessoas, que não compreendem e que sentem até mesmo preconceito contra os depressivos, tachando-os de fracos, vagabundos, etc, irão piorar a situação ou simplesmente se afastarão de você por crerem se tratar de uma pessoa negativa e pessimista. Elas apenas saberão do que se trata se um dia vierem a sentir a mesma dor.

Evite ouvir as musicas sentimentais do passado, caminhe bastante, ande por ai, veja os moradores de rua, os mendigos e, se possível, até visite hospitais e asilos. Veja que as coisas ainda poderiam estar piores.
A cama é um dos principais inimigos do depressivo. Ela quer que você esteja deitado nela o dia todo e que você se renda à depressão até ser transportado para outra cama, a de um hospital.

Tenha um animal de estimação, trate-o com amor… dê a ele todo o carinho que queria estar recebendo das pessoas. Ele se tornará um grande amigo durante a batalha da vida.

Enfim, treine seu cérebro para que ele se convença de que no fim das contas, tudo é em vão para todos e não apenas para os depressivos. Resista às dores, faça pequenas tarefas diárias mesmo contra a vontade, e se puder, aprenda a tocar um instrumento, aprenda artesanato, jardinagem, culinária, escreva livros, leia livros!
Lute e saiba que estamos juntos nessa guerra!!!

6 comentários para Depressão; como conviver com ela?

  • Carlos  disse:

    Cara, entendo a dor da depressão… sei bem como é duro viver depressivo, tentando encontrar uma saída para essa dor desgraçada que parece ter milhões de facas trucidando a alma.

    Sei muito bem o que é ser incompreendido pelas pessoas a sua volta, que enquanto você se esforça ao máximo para estudar, trabalhar e ir para academia, ficam falando que é preguiça, falta de vontade, vagabundagem, falta de fé em deus. Sei muito bem o que é reprimir o ódio sentido pelas pessoas incompreensivas, segurar para não pegar uma arma e sair matando todo mundo para descontar a raiva, para retaliar as palavras cruéis que escutamos quando mais tentamos e parecemos estar patinando num monte de lama.

    Sei muito bem o que é a frustração de tentar e ver os outros sentir prazer em vê-lo derrubado, por mais que não tenha feito nada de ruim a ninguém.
    Se você escreveu esse tópico, provavelmente deve ter lido meu comentário lá atrás e meu e-mail enviado.
    E posso te dizer que não sou o tipo de pessoa que dá bom dia a cavalo. Se te passei isso daqui, foi porque eu testei e comprovei. Minha vida não mudou materialmente, mas mudou psicológicamente. Sou outra pessoa depois que pratique o te mandei por e-mail… e você não é a primeira pessoa a quem eu compartilho a técnica, se é que posso chamá-la assim.
    Eu peguei um completo desconhecido e dentro em dois meses ele me respondeu dizendo sentir diferença. Tente cara. Se em 3 ou 4 meses você não melhorar nada, pode abrir mão.

    • Addy Addy  disse:

      Quais são as tecnicas Carlos?

      vc me enviou o link?

      grato

      • adriana castro  disse:

        como se livrar da depresao pra sempre???nao tenho dinheiro para pagar sou pobre mas se puder responder de graça agradeço

        • holder90 holder90  disse:

          Adriana, vc recebeu minhas mensagens?

    • holder90 holder90  disse:

      Carlos, procurei seus e-mails e não consegui mais encontrar. Tem como reenviar? Agradeço!

  • Anderson  disse:

    Acho suas dicas interessantes e me fazem refletir.

Deixe um comentário

WordPress spam blocked by CleanTalk.