Chás

Chás antidepressivos

Sempre confiei no poder de cura das plantas. Faz muito tempo que tomo chás de todos os tipos, algumas vezes por semana, principalmente aqueles indicados como calmantes e antidepressivos.
Geralmente consumo chá de camomila, cidreira, alecrim, dentre outros. E, sim, eles ajudam bastante, melhoram o sono e o hábito de tomar chá quentinho, adoçado ou não, também é um fator relaxante e terápico.

Quanto aos chás indicados especificamente para combater depressão, ainda não posso afirmar que tenham me auxiliado nesse sentido. A erva-de-são-joão, por exemplo, nem sei se usei a verdadeira, pois dizem que há uma planta brasileira vendida como tal, mas trata-se de uma variedade ou similar. Não vi benefícios no que tange à depressão.

Ultimamente tenho tomado uma combinação de folhas e cascas como fortificante. Uma mistura bem forte composta por lúpulo, catuaba, marapuama, alecrim, pau-ferro, cipó-cravo e folha de amoreira. Se está dando resultado ainda não sei, mas tenho também que levar em conta os benefícios no organismo, dos quais tenho observado nos resultados de exames laboratoriais. Colesterol e glicemia estão mais baixos, bem como a pressão arterial mantém-se mais controlada.

Dizem também que o mulungú e o salgueiro branco são indicados como chás no combate à depressão.

Tudo deve ser experimentado, com cautela, tomando cuidado, principalmente para quem já toma remédios antidepressivos (ansiolíticos). Creio que assim como estes remédios, os chás devem dar resultados ou não de acordo com cada organismo, cada pessoa.

Também há a maneira correta de se fazer os tratamentos fitoterápicos. Tempo de tratamento e quantidade a ser tomada diariamente, bem como a maneira de se preparar os chás.

Continua……