A Bíblia

Mas por que o Deus da Bíblia?

Existem alguns livros denominados sagrados no mundo. Creio que os dois mais famosos sejam o Alcorão e a Bíblia. Os dois exercem grande influência em milhões e milhões de pessoas através dos séculos. No entanto, o livro sagrado dos muçulmanos é bastante recente comparado à Bíblia, tendo sido escrito nos anos 700 da nossa era. Este mesmo livro cita personagens bíblicos em suas páginas e estes costumam ser respeitados dentro do islamismo tradicional como grandes profetas.

Já a Bíblia, mais comumente seguida no mundo ocidental, porém bem mais espalhada pelos quatro cantos do planeta que o Alcorão, é datada em cerca de uns 3 mil e quinhentos anos. Para falarmos deste livro da forma mais imparcial possível, temos que contar com o apoio de fontes fidedignas de informações, tanto de seus próprios manuscritos bem como do apoio de registros seculares que atestariam a sua veracidade. A arqueologia, por exemplo, desempenha um papel fundamental quanto a isso. Alguns fatos são incontestáveis, como por exemplo, a descoberta dos rolos do Mar Morto no século passado. Pergaminhos com textos em hebraico, da mesma forma como o lemos hoje, foram encontradas em cavernas, e estima-se que estes tenham cerca de 2 mil anos.

Na verdade, arqueologicamente falando, os achados bíblicos são inúmeros e impressionantes. No entanto, precisaríamos de bem mais do que isso para nos assegurarmos de uma possível veracidade da Bíblia.

Os ateus possuem um verdadeiro arsenal de questionamentos e afirmações sobre o livro. Muitas destas questões são realmente pertinentes e exigem respostas bem mais sensatas do que aquelas que grupos de religiosos fanáticos tem dado.

Um Deus que sempre existiu?

Primeiro, como assimilarmos a idéia de que algo ou alguém tenha sempre existido e que nunca tenha tido um princípio?

O universo teve princípio, segundo cientistas atestam. Pode, então, o universo ter surgido do nada? Paremos pra pensar. Se todos os elementos contidos no universo desaparecessem, ainda assim restaria o nada e se o nada existe então ele é alguma coisa. Tem que, obrigatoriamente existir algo, mesmo que este algo seja o nada que você está tentando visualizar em sua mente. E não adianta, não temos capacidade para imaginarmos mais nada além do vazio e ou da escuridão, justamente porque isto é impossível de não existir. Sempre existiu algo! Se alguma coisa teve um princípio, esta coisa começou através de alguma outra coisa e assim por diante. Tem que haver, além do ambiente, do pano de fundo, a fonte eterna que pode dar origem às matérias, sejam elas finitas ou igualmente infinitas. Se esta fonte , na verdade, é o próprio nada presente, então que assim seja. A Bíblia fala de Deus como sendo o Alfa e o Ômega, aquele que não teve princípio e não terá fim.

Um Deus com sentimentos?

Muitos também não aceitam um Deus que tenha sentimentos semelhantes ao que nós humanos temos. Mas a partir do momento em que damos conta de que somos frutos de sua criação, isso se torna mais fácil de entendermos.

Pode, por acaso, uma fonte de água potável gerar esgoto? Se nós como criaturas fomos criados com sentimentos dos mais diversos, faria sentido que o criador não os tivesse? Seríamos então mais nobres do que aquele que nos deu vida por sentirmos amor e ele não? Toda esta reflexão acerca da existência de um Deus teria surgido de uma fonte inanimada?

Por isso, a Bíblia diz que fomos criados à sua imagem e semelhança. Inicialmente semelhantes em sentimentos, apesar da diferença de corpos, somos naturalmente iguais em essência.

 A Criação, segundo a Bíblia

No princípio, Deus criou os céus e a terra. A narrativa bíblica de Gênesis é bem famosa e ímpar. Nenhum outro livro sagrado dá estas informações de modo tão singular. Na verdade, os demais livros que teriam tentado citar uma origem, são constituídos de mitologia tais como um sol que chorou sangue e estas lágrimas deram origem à terra que, por sua vez, teve um filho com a lua ou coisas do tipo.

A narrativa de Gênesis é reconhecida como impressionantemente ordeira, segundo alguns geólogos renomados. Evolução à parte, as coisas teriam sido realmente formadas na mesma sequência citada na Bíblia e isso não deixa de ser, no mínimo, intrigante.

Bem, se até mesmo Darwin não descartava a existência de um criador, então o que poderia ser absurdo nisso? a evolução? Segundo a Bíblia, Deus criou todos os seres segundo suas espécies e não de acordo com a evolução, principalmente quando envolve a transformação de uma espécie em outra. Mas mutações e adaptações de uma mesma espécie no decorrer do tempo não entram em conflito com o processo criativo.

E quanto ao absurdo desta criação ter sido feita em apenas 6 dias?  Absurdo mesmo, mas isto é apregoado por criacionistas sem a mínima noção do significado em hebraico da palavra “dia” , no livro de Gênesis. Ali fala do “dia em que Deus criou a terra” sendo que este dia é composto por um período de 6 dias criativos, ou seja, cada dia pode conter um tempo indeterminado, por exemplo, milhares ou milhões de anos. Então, ao interpretarem o dia bíblico como tendo 24 horas, religiosos fanáticos distorcem informações importantes e ridicularizam o livro sagrado perante os evolucionistas.

Quais alguns dos maiores mitos em torno da Bíblia?

Infelizmente, e como previsto pela própria Bíblia, muitos dos ensinamentos foram muito mal interpretados tanto no Antigo quanto no Novo Testamento e apregoados através dos séculos, o que tem causado prejuízos imensuráveis na sociedade humana. Em nome da mentira e do ódio que esta causou, pessoas foram torturadas e mortas.  O próprio Galileu, que foi condenado injustamente pela Igreja Católica, defendeu a Bíblia e criticou aqueles que supostamente a representavam por saber que eles a interpretavam de forma errônea.

A Bíblia ensina que a Terra é o centro do Universo?
Não, esse ensino não é da Bíblia, mas do filósofo grego Aristóteles.

Pode o homem ter sido feito do barro?
Todos os elementos presentes no corpo humano também são encontrados na terra.

A Bíblia ensina que o pecado original tenha sido o sexo?
Não, o pecado foi a desobediência em não seguirem as normas perfeitas do Criador. O sexo seria necessário para que os humanos se reproduzissem sobre a terra.

Adão e Eva tiveram apenas dois filhos homens?
Não, a Bíblia diz que Adão e Eva tiveram filhos e filhas e, como ainda estavam próximos da perfeição que haviam perdido no Éden, a procriação entre eles não causava problemas congênitos.

O Diabo é um ser com chifres, rabo e asas de morcego?
Não, Diabo significa Caluniador e Satanás significa Opositor, em hebraico. É um ser espiritual (imaterial) que se rebelou, escolheu suas próprias diretrizes e tenta desencaminhar toda a humanidade quanto aos propósitos divinos. A Bíblia o descreve como um dos mais belos filhos de Deus que, antes de se rebelar, gozava dos privilégios espirituais dos quais nossas mentes não são capazes de imaginar. Outro mito: A Bíblia não diz que seu nome seja “Lúcifer”. Esta palavra sequer aparece nas escrituras.

Uma cobra realmente falou com Eva?
Não, a serpente foi usada assim como um ventríloquo usa um boneco para falar. Quem realmente falava com Eva era o ser espiritual rebelde, o Diabo.

Deus atormentará os pecadores num Inferno de fogo?
Não, este é um ensino pagão que foi erroneamente adotado na intenção de converter pessoas através do medo. As palavras Seol (hebraico) e Hades (grego), traduzidas na Bíblia como lugares de tormento eterno, na verdade significam “sepultura”. Inferno (inferius) significa “inferior” em latim. O fogo representa a destruição eterna (morte) e os demais simbolismos envolvidos em relação ao fogo eterno foram lamentavelmente ensinados como sendo literais. Veja mais detalhes sobre o ensino do inferno de fogo aqui

A terra será destruída por Deus?
Não. A Bíblia diz que arruinará aqueles que arruínam a terra e que Deus a fez para ser habitada para todo o sempre pelos justos. O sistema humano, o mundo como vivemos hoje, governado pelo espírito opositor, este sim, será destruído para que seja estabelecida uma Nova Ordem na terra.

O homem tem uma alma imortal?
Não, a Bíblia ensina que o homem é uma alma que morre, assim como os animais, que também são almas. Ao morrermos ficamos inconscientes, deixamos de existir, e a continuidade dessa existência dependerá de Deus nos ressuscitar na Nova Ordem, caso mereçamos.

Deus é onisciente e onipresente?
A Bíblia, em parte alguma, ensina isso. Deus, obviamente, assim como nós, possui livre-arbítrio, e tem o poder de controlar suas vontades próprias. Ele não é um ser que automática e necessariamente tem que prever tudo o que faz ou estar em toda a parte. Se assim o fosse, ele seria insano e culpado por todo o mal sobre a terra. Teria exigido do primeiro casal humano uma obediência da qual ele sabia que não eram capazes de cumprir. Teria criado o mundo ja sabendo que seria uma tragédia e não foi assim. Além disso ele estaria presente em todos os momentos de crueldade humana. Será que Deus pode estar presente num lugar onde impera a injustiça e a violência? Portanto, Deus é onisciente quando quer e quando este querer não interfere de modo injusto no destino das pessoas. Da mesma forma está presente onde bem entende.

Existe o destino?
Existe um destino certo para a humanidade. Os justos possuirão a terra e viverão numa nova ordem para sempre e os injustos não terão vez quanto a isso. Mas não existe um destino traçado para cada ser humano, individualmente. O homem faz seu próprio destino na vida. Se cada um de nós estivéssemos predestinados, não teríamos responsabilidade sobre nossos atos e Deus seria o grande culpado de tudo. A Bíblia ensina que temos o livre-arbítrio para decidirmos acerca de nossas atitudes. Além disso, o livro fala do tempo e do imprevisto podendo interferir na vida de cada um.

Deus salva determinadas pessoas em desastres?
É comum e compreensível as pessoas agradecerem muito a Deus por terem escapado ilesas de acidentes, tragédias onde as chances de alguém sobreviver eram mínimas, ou por serem curadas de doenças consideradas “incuráveis”. Atribuem essas salvações a milagres divinos, pois não haveria como se explicar, por exemplo, alguém sobreviver à queda de um avião onde todas as outras pessoas morreram.

Mas vamos raciocinar: Aonde ficariam, então, as probabilidades, mesmo que remotas, de coisas assim poderem acontecer? Quer dizer que se um avião cai, um carro bate ou um navio afunda, todos os tripulantes e passageiros têm que necessariamente morrer, senão é milagre?
Será que se jogarmos 10 garrafas para o alto, todas terão que obrigatoriamente se espatifarem no chão? Acontece, embora cause espanto, de uma ou até mais garrafas não se quebrarem. Sim, pode acontecer e acontece!
Este é só um exemplo das leis das probabilidades e estatísticas. Garrafas, outros objetos, animais e, sim, humanos estão dentro de tais possibilidades.

Uma coisa que muitos falam quando alguém perde o voo e o avião em que viajariam cai:

“Fui salvo por Deus ou não era o meu dia”

Mas e quanto às demais pessoas que morreram na queda do avião? Por que Deus haveria de salvar apenas uma ou algumas pessoas e deixar que as outras, incluindo crianças, morressem de forma tão trágica?

E quanto aos inúmeros casos diários de pessoas que perdem seus voos por chegarem atrasadas nos aeroportos? É obviamente normal as pessoas se atrasarem todos os dias, por inúmeros motivos, sem que avião algum sofra acidente. Milhares de pessoas estão perdendo o horário de milhares de voos há anos e, claro, a mídia só dará conta delas quando um avião cair ou explodir nos ares. Dirão então que foi milagre de Deus tais pessoas não terem embarcado naquele dia.

Sejamos sensatos. Na verdade, achamos que somos protegidos particularmente por Deus ou por anjos. Biblicamente isso até existiu quando profetas ou pessoas que tinham uma grande missão em termos de proselitismo eram protegidas, inclusive para demonstração do poder de Deus perante incrédulos.
Se Deus tem alguma particularidade conosco, espera algo de nós quanto ao fato de podermos contribuir espiritualmente, não sabemos, mas estamos, sim, sujeitos a ferimentos graves, doenças e mortes, como todos os demais seres humanos. Como diz a Bíblia, o tempo e o imprevisto sobrevêm a todos.

No entanto, não devemos julgar as pessoas que agradecem a Deus nestes momentos. Isso é até algo instintivo, uma reação diante tamanho alívio por se ter escapado com tanta sorte de uma grande tragédia. Sim, sorte é a palavra.

E, convenhamos, não seria então bem mais sensato Deus impedir a tragédia do que salvar um ou outro e deixar que todos os outros morressem?

Mas  por que Deus permite então tanto sofrimento no mundo?

A Bíblia é o único livro sagrado que explica isso, quer aceitem ou não a resposta. Existem teorias criadas por homens tais como aquelas que dizem que estaríamos pagando por pecados graves em vidas passadas, dos quais não lembramos que cometemos. Mas para aqueles que acreditam na Bíblia as explicações são as que se seguem:

Primeiro que, para que não fossem criados robôs que obedeceriam cegamente, Deus criou o homem à sua imagem e semelhança, incluindo a capacidade de escolha, o livre-arbítrio.
Houve, então, segundo Gênesis, a chamada rebelião do Jardim do Éden, onde por cobiçarem algo da propriedade de Deus, a saber, o fruto do qual não deveriam comer, Adão e Eva preferiram se deixarem levar pelas calúnias de Satanás, o anjo rebelde e, assim, ao desobedecerem as normas justas do Criador, se juntaram ao espírito opositor na rebelião e foram punidos com a morte, segundo tinham sido advertidos caso desobedecessem.

Porém, não foram mortos imediatamente após a rebelião, pois teriam que povoar a terra, como Deus havia determinado, independentemente de suas escolhas. Foram expulsos do Jardim do Éden e passaram a viver uma vida dura (comparado a que tinham no paraíso), sem mais a perfeição que teriam caso tivessem sido obedientes.

Em consequência, todos os filhos gerados por eles herdaram a imperfeição. Como ainda estavam mais próximos da perfeição do que nós, pois o processo de perda não era imediato, tiveram uma vida longa, perto dos mil anos de idade e assim todos os descendentes daquela época. Com o tempo, a expectativa de vida humana foi sendo reduzida até chegarmos hoje entre 70 e 80 anos. Também as doenças se multiplicaram e estamos mais suscetíveis à violência, acidentes e desastres naturais.

Por que Deus não destruiu o Diabo e seus seguidores (outros anjos e o casal humano) logo no início?

Primeiro, porque ao assim fazer, Deus estaria admitindo um erro como criador, sendo que não houve erro algum em suas criações. Criou, tanto as miríades de  criaturas espirituais, quanto as duas criaturas terrenas, perfeitas como sua imagem e semelhança. Porém, como já dito, ele não criou robôs, mas seres dotados de livre-arbítrio. Deus não escondeu nada deles, mas mostrou os dois caminhos e as consequências que cada escolha teria.

Segundo, que Deus foi acusado por satanás como sendo um mentiroso. O anjo rebelde disse à Eva que se ela comesse do fruto proibido poderia ser igual a Deus e que não morreria jamais.  Como mostra o livro de Jó, satanás afirmara que os humanos só poderiam servir a Deus por interesse e que, sob adversidades, deixariam de ama-lo e obedece-lo.

continua……..

 Saiba mais sobre depressão

Por que eu deveria considerar as possibilidades bíblicas?

Primeiro, por que se trata do registro mais antigo sobre a  única esperança da humanidade no que diz respeito à vida eterna aqui mesmo na terra, a saber, a ressurreição. É o único registro histórico que realmente trata de assuntos tais como a criação do mundo, o motivo pelo qual os humanos começaram a envelhecer, adoecer e morrer e as providências por Deus tomadas para resgatar a situação original perfeita.

Segundo que, ao mesmo passo em que encontramos possíveis absurdos em tons alegóricos nas narrativas, principalmente do antigo testamento, encontramos também fatos impressionantemente extraordinários, inegavelmente dignos de consideração. E, se formos analisar, os textos aparentemente estranhos à razão e relatos duvidosos são uma minoria em relação à sabedoria e ensinamentos sensatos contidos nestas escrituras sagradas.

Trata-se também da história de uma nação e de um povo que existe até hoje. A nação de Israel, segundo a Bíblia, geraria aquele que, por meio do sacrifício de seu corpo perfeito, traria de volta a possibilidade dos homens viverem para sempre, como deveria ter sido desde o principio. Uma criatura espiritual, o filho primogênito de Deus, foi enviado à terra e tendo nascido como homem, se tornou o Cristo (ungido; escolhido).

Impressionante também sobre a Bíblia é o fato de que os registros, escritos por vários seguidores fiéis e preservados através das eras pelos copistas, resistiram ao tempo e à oposição de muitos que queriam destrui-los. Durante a Idade média, inúmeras Bíblias foram queimadas, tradutores foram perseguidos, torturados, mortos, mas ninguém, nenhuma campanha conseguiu extinguir as escrituras sagradas. Hoje é o livro mais traduzido e distribuído da terra.

Continua…..